Liceu Albert Sabin - - Detalhar Notícia


Alunos do Liceu Albert Sabin participaram da Operação Wallaccea no México – 13/09/2019


Entre os dias 6 e 21 de julho, os alunos da 3ª série do Liceu Albert Sabin – Ensino Médio: Maria Júlia Gonzales Merlin, Maria Fernanda Maluf Novaes Franco, Angelo Lucca Martinelli Petillo, Pedro Scaringe Mishima, Luca Gavio e Gabriel Menezes Rissi, juntamente com o professor Claudio Paris (Magrão) foram convidados a participar da Opwall (Operação Wallaccea), uma organização britânica que atua em dezenas de países na pesquisa em biodiversidade e meio ambiente, junto às comunidades locais dos países visitados.

Segundo o professor Magrão, durante a viagem, o grupo entrou em contato com descendentes dos Maias, civilização pré-colombiana que habitou o México até século XV. “Os alunos participaram de pesquisas na floresta e no mar com cerca de 200 alunos e pesquisadores de vários países, tais como África do Sul, Inglaterra, Itália, Portugal, dentre outros”, comenta.

Após a experiencia, os alunos obtiveram certificado  de participação em pesquisa internacional, além de premiação por uma organização inglesa  por atuarem e desenvolverem competências  relacionadas a consciência global e cidadania ativa, experiência profissional e de vida.

Também obtiveram certificação PADI, que lhes permite mergulhar em qualquer ambiente aquático com equipamentos profissionais.

 

Confira alguns depoimentos dos alunos:

 

“Minha experiência no México foi inesquecível. Uma experiência que eu recomendaria para todos que estão dispostos a passar por algumas dificuldades. Essas dificuldades aconteceram mais na parte da floresta, onde a estrutura do acampamento era bem básica, sem eletricidade e encanamento, mas na parte da praia a estrutura era bem melhor, o único inimigo era o cansaço. Durante esse período além de estudarmos bastante, fizemos muitas amizades”. (Angelo Lucca Martinelli Petillo)

 

“Foi uma viagem de diversas experiências novas, como: viver uma semana na floresta aprendendo, na prática, como se comporta a fauna e a flora, uma mistura de biologia com a história da civilização Maia que viveu no local, a vida marinha e a preservação dos oceanos, entre outras coisas que me fizeram mudar a maneira de agir e pensar” (Luca Gavio)

 

“No México tivemos uma ótima experiência. Foram duas semanas, uma em Calakmul (floresta) e uma em Akumal (praia). Na primeira semana, ficamos em uma reserva no sul do México, chamada de Calakmul, que em maia significa "dois montes adjacentes", devido aos dois grandes templos presentes na região. Nessa semana, fizemos um trabalho em conjunto de pesquisadores da Operação Wallacea, para análise e coletas de dados da fauna e flora. Estudamos vários animais, tendo cada dia focado em um tipo específico. Já na segunda semana, ficamos em uma base em Akumal, que em maia significa "lar das tartarugas", devido à grande quantidade desse animal lá. Essa praia foi para nós o local de finalização do curso de mergulho e de estudo da biologia marinha. Fizemos análise das concentrações de vertebrados e invertebrados na região, junto da análise de qualidade e quantidade de "sea grass", importante para alimentação das tartarugas e para proteger o solo marinho. A viagem foi rica em novos conhecimentos e experiências, promovendo o contato nosso com pessoas de outras nacionalidades”. (Pedro Scaringe Mishima).


 
 


Postada em 13/09/2019 por Lays Schiavinatto Do Nascimento


Jornalistas:
Lays Schiavinatto - MTB 76.163 / lays.nascimento@baraodemaua.br
Rogéria Gamba - MTB 52.808 / rogeriacg@baraodemaua.br


Contato Assessoria de Imprensa:
16 3968-3890